Trabalhabilidade – Competência para expandir suas possibilidades no mercado

Esse é um convite a pensar novas possibilidades de ação. Não um texto para gerar desesperança. Quanto mais nos abrimos para a mudança, melhor será nossa adaptação.

No século 19, o conceito-chave na cabeça dos trabalhadores era EMPREGABILIDADE. Se você tivesse as competências necessárias para obter um emprego, você teria renda garantida.

Os tempos mudaram. Nossa geração não tem mais a garantia de um emprego. Empresas que foram sólidas por décadas tem seu império ameaçado por novas tecnologias desenvolvidas por meia dúzia de profissionais.

Assim como gigantes morrem de um ano para outro, novas potências mundiais surgem nessa mesma velocidade. Cargos surgem e desaparecem entre o momento que alguém inicia e termina uma graduação. A tecnologia está mudando todos os aspectos da nossa vida constantemente e em aceleração exponencial. Com o mundo do trabalho não é diferente.

Garantir um trabalho virou tarefa mais tangível do que conseguir um emprego.

Vamos usar algumas estatísticas para conseguir explorar o atual cenário do mundo do trabalho:

  • A taxa de desemprego no Brasil em 1989 era de 3,3% e em 2015 6,9% (última data que temos a média anual, não temos oficialmente a de 2019. As estimativas é de que esse ano a taxa esteja por volta de 12%).

Nesse período, nos piores anos chegamos a uma média de quase 13% (2002 – 2004) e o melhor ano em 2014, com 4,9%. E para o cálculo dessa taxa, pessoas que trabalham 15h por semana são consideradas empregadas – carga que dificilmente provê o suficiente para o sustento. Com a automação, a tendência é que a taxa de desemprego aumente. Cada vez mais, não teremos garantia de emprego e temos que ofertar nosso trabalho de outras formas.

  • 65% das crianças de hoje trabalharão em funções que ainda não existem atualmente;
  • Hoje, estima-se que no Brasil 25% das pessoas ocupadas sejam trabalhadores autônomos. Eles representam um forte alicerce para a nossa economia.

Essas estatísticas podem gerar alguns questionamentos quanto ao como se portar no momento atual e como melhor se preparar para o futuro:

Como podemos prepararar alguém para um trabalho que ainda não existe?
Com a queda (mundial) das taxas de empregos e estando em plena expansão da Economia GIG (ou Economia sob demanda), não deveríamos focar em Trabalhabilidade ao invés de Empregabilidade?

O que é TRABALHABILIDADE? A habilidade do próprio profissional em atualizar seus conhecimentos e acompanhar as tendências do mercado para que consiga uma fonte de renda para si.

E você? Se acomodou no emprego atual ou está cuidando de sua trabalhabilidade?

Conte com nosso apoio profissional para aprender a auto-gerir sua carreira!

contato@optioop.com.br

 

Jacksiani Erat Sleiter

CRP 12/16271

________________________________

Fontes

Taxa de Desemprego segundo o IBGE: https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalhoerendimento/pme/default.shtm
http://www.ipeadata.gov.br/exibeserie.aspx?serid=38401

Mudanças na relação de trabalho, dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico:
https://www1.folha.uol.com.br/sobretudo/carreiras/2017/06/1893480-mais-da-metade-das-criancas-vao-seguir-carreiras-ainda-inexistentes-diz-estudo.shtml

Porcentagem de trabalhadores autônomos, matéria Globo, dados IBGE:
https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/03/29/desemprego-sobe-para-124percent-em-fevereiro-diz-ibge.ghtml

 

Voltar