Por que optar pelo atendimento psicológico online?

 

O surgimento da internet abriu novas possibilidades de comunicação, mais rápidas e eficientes, fator que influenciou diretamente a prestação de serviços. Entre eles, o atendimento psicológico, que há anos já é realizado online no Brasil e no mundo.

Mesmo diante da praticidade, você deve estar se perguntando se é uma escolha segura e que, de fato, pode trazer resultados. A resposta é sim e, nesse texto, vamos listar alguns dos motivos para garantir que é possível buscar o atendimento online e de que funcionará tão bem quanto sessões presenciais.

  1. Praticidade e comodidade

Vamos começar com aquela que, provavelmente, é uma das primeiras vantagens consideradas por quem decide avaliar o atendimento psicológico online: comodidade.

As sessões remotas permitem que o paciente se organize de acordo com os melhores momentos e locais para atendimento. Diante da rotina atribulada, hoje comum a muitas pessoas, ganhar tempo e evitar o deslocamento até o consultório pode contribuir muito na decisão.

  1. Atendimento psicológico online é regulamentado

O Conselho Federal de Psicologia (CFP), entidade que fiscaliza o exercício da profissão, ao perceber que o atendimento remoto se tornou tendência, decidiu regulamentar o serviço. Para isso, elaborou a resolução 11/2018, em maio do ano passado.

O texto, semelhante a resoluções de países como Canadá, Estados Unidos e Inglaterra, entrou em vigor em novembro de 2018 e prevê a fiscalização do atendimento online. Outra obrigatoriedade é de que os profissionais sigam padrões éticos, mesmo em consultas à distância.

  1. Resolução define quais atendimentos podem ser remotos

Antes de decidir buscar sessões com psicólogo à distância, você precisa avaliar se o seu caso pode ser atendido remotamente. Isso porque a resolução também aponta que, em determinadas situações, o atendimento deve ser exclusivamente presencial.

Alguns exemplos são pessoas em situação de violência ou que precisam de atendimento psicológico urgente, vítimas de desastres ou que tiveram direitos violados. Nesses casos, a vulnerabilidade dos pacientes não permite que as consultas ocorram à distância.

  1. Menores de idade precisam de autorização

Se você está em busca de atendimento para pessoas com menos de 18 anos ou é menor de idade, entra em cena uma nova exigência: autorização de pais ou responsáveis.

Para isso, o profissional que oferece o serviço à distância deve estar preparado e disponibilizar ao responsável legal o documento de autorização para assinatura.

  1. Psicólogos devem estar cadastrados no site do conselho federal

Todo profissional, antes de oferecer o atendimento psicológico online, é obrigado a informar ao CFP que pretende atuar de forma remota, através de cadastro no site da entidade. Trata-se do e-PSI, uma lista de profissionais autorizados a atender nessa modalidade. O cadastro é público e pode ser consultado aqui.

Para integrar o e-PSI, psicólogos apontam dados pessoais e profissionais, detalhes do serviço que pretendem prestar e plataformas utilizadas. As informações garantem que psicólogos sejam denunciados quando agem fora dos padrões éticos da profissão e que o CFP possa punir ou mesmo cassar registros profissionais nesses casos.

 

Esperamos que com essas dicas, você possa fazer a melhor escolha, de acordo com suas necessidades, lembrando sempre que psicólogos que atendem à distância precisam estar cadastrados no site do CFP. Para decidir, sem dúvidas o primeiro passo deve ser uma consulta ao e-PSI.

Sabemos que outras dúvidas podem surgir, se é o seu caso, entre em contato com a gente e pergunte o que mais você precisa saber: optioop.com.br/contato/ .

 

Por Djenifer May, jornalista e web content

Voltar