4 DICAS ESSENCIAIS – Para pais em quarentena

 

Você tem crianças em casa e tem tido dificuldades para conciliar o trabalho com a atenção demandada?

 

🔸1 – Entenda e Compreenda
Antes de mais nada tire um tempo para si e entenda qual a limitação que você enquanto mãe/pai/cuidador possui. Estamos em um momento de exceção que requer calma, atenção às autoridades sanitárias e, principalmente, autocuidado. Cuide-se antes de cuidar de outra pessoa! Mas lembre: este momento é transitório e outros países estão conseguindo lidar com a situação. Daremos conta também, fazendo nossa parte.
Grande parte da maneira como você vai lidar com a situação será passado às crianças (e outros adultos que convivem no mesmo local): se você está sob controle da situação, as crianças também se sentirão seguras e ficarão menos agitadas.

 

🔹2 – Rotina, mesmo dividindo trabalho e criança.
Tenha a mesma rotina de sono e atividades escolares que a criança possuía. Isso evitará dois problemas: que a criança compreenda a quarentena como férias (que não são!) e que tenha problemas para se readaptar à rotina quando o isolamento social for suspenso.
Muitas escolas têm passado tarefas para serem feitas em casa. Alterne a mediação das tarefas com quem conviver.
Faça intervalos de meia em meia hora, podendo optar por lanche, exercícios físicos leves e até manter o “recreio”. Mantenha a rotina para que a criança perceba que há o controle da situação.

 

🔸3 – Brincadeiras que fazem suar!
Naturalmente as crianças têm muita energia e essa energia precisa ser gasta por dois motivos principais: 1) a energia é fonte para o aprendizado, então é importante que seja utilizada para o desenvolvimento psicomotor da criança; 2) se a energia não for utilizada durante o dia, provavelmente ela terá dificuldades para dormir – e já falamos sobre a importância do ciclo circadiano para o desenvolvimento infantil.
Lembrando que, para crianças com menos de 2 anos de idade, a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda total abstinência do uso de telas.
Seja criativo/a: relembre as brincadeiras que fazia quando criança!
Aqui vai algumas dicas de brincadeiras para aprimoramento do controle inibitório:
– “vivo/morto”
– estátua
– amarelinha

 

🔹4 – Despertando a curiosidade. Busque envolver a criança em atividades que ela possa verificar o processo, de forma rápida, de evolução e mudança de algo. Por exemplo, plante uma semente (quem lembra das atividades de plantar a semente de feijão no algodão?); faça uma receita de bolo com ela, permitindo que possa pôr a mão na massa também; construa uma casa de papelão de maneira que ela consiga entrar… Exercite a criatividade! Lembre-se de que a curiosidade é mais instigada quando há mudanças no processo. Para uma criança, esse processo não pode ser longo (dias e semanas), pois sua capacidade cognitiva ainda é muito pautada no presente. E por fim, não menos importante: #fiqueemcasa

 

 

Clarissa Venturieri

(CRP 12/15829)

Voltar